SUPER BANNE HITSS
LBV
FEVEREIRO ROXO

ALERJ APROVA REVOGAÇÃO DE EXIGÊNCIAS DE METAS ORÇAMENTÁRIAS PARA QUATRO BENEFÍCIOS FISCAIS

Por Exclusivo RJ em 28/11/2023 às 20:32:01

Foto: Octacílio Barbosa

A exig├¬ncia do cumprimento de metas fiscais orçament├írias anuais de desempenho pode ser revogada para a concessão de benefícios fiscais a pequenos produtores rurais, igrejas e templos de qualquer culto, empresas que produzem alimentos à base de farinha de trigo, e também para fabricantes de embarcações recreativas e esportivas. As revogações constam em quatro projetos de lei, todos de autoria do deputado Chico Machado (SDD), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em primeira discussão, nesta terça-feira (28/11). Os textos ainda precisam ser votados novamente pela Casa.

As metas fiscais orçament├írias para a concessão de benefícios fiscais no Estado do Rio constam na Lei 8.445/19 e devem ser estabelecidas para cada incentivo fiscal. O deputado Chico Machado explicou que as disposições da norma aplicam-se, exclusivamente, aos incentivos fiscais condicionados que envolvem o cumprimento de contrapartidas por parte das empresas benefici├írias.

No caso dos regimes tribut├írios que os projetos pretendem revogar esta exig├¬ncia, o deputado explicou que só foram internalizados conv├¬nios do Conselho Nacional de Política Fazend├íria (Confaz) ou copiados regimes de estados vizinhos ao Rio, para evitar a guerra fiscal entre os estados, conforme garante a Lei Complementar Federal 160/17.

"Ou seja, nestes quatro casos não h├í incentivos fiscais condicionados, uma vez que não envolve o cumprimento de contrapartidas por parte dos beneficiados. Tratando-se de lei na qual o contribuinte interessado meramente necessita declarar a sua opção pela fruição, pois assim consta da norma paradigma que lhe fundamenta", declarou Machado.

Confira as especificidades de cada projeto:

  • Projeto de Lei 2.509/23 revoga as metas orçament├írias para isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no fornecimento de energia ao pequeno produtor rural com consumo de até mil quilowatts/hora mensais. A isenção consta na Lei 10.065/23;
  • Projeto de Lei 2.510/23 revoga as metas orçament├írias do regime tribut├írio diferenciado para empresas que produzem farinha de trigo, massas, pão franc├¬s, além de biscoitos "├ígua e sal" e "maisena". A Lei 10.067/23 determina que estes produtos tenham alíquota de 7% de ICMS nas operações de saída interna até 31 de dezembro de 2024;
  • Projeto de Lei 2.511/23 revoga as metas orçament├írias do regime tribut├írio diferenciado para fabricantes de embarcações recreativas e esportivas. A carga tribut├íria de ICMS fixada pela Lei 10.68/23 é de 7% até 31 de dezembro de 2024;
  • Projeto de Lei 2.512/23 revoga as metas orçament├írias para isenção de ICMS no fornecimento de energia e g├ís para igrejas e templos de qualquer culto. A isenção consta na Lei 10.061/23 e vale até o dia 31 de dezembro de 2032.

Fonte: Ascom

Comunicar erro
LBV
DISQUE SAUDE

Comentários