Barber2

Hospital Ferreira Machado conta com um novo Centro de Queimaduras

O espaço foi inaugurado pelo prefeito Wladimir Garotinho, nesta sexta-feira (12), que anunciou a reforma do pronto socorro

Por Da Redação em 14/11/2021 às 00:28:12

Foto: César Ferreira

O prefeito Wladimir Garotinho inaugurou, nesta sexta-feira (12), no Hospital Ferreira Machado (HFM), o Centro de Atendimento Especializado de Queimaduras (CAEQ). A unidade está instalada no andar térreo do hospital e conta com uma equipe multidisciplinar para acompanhamento dos pacientes, vítimas de queimaduras após a alta hospitalar. Em seu discurso, o prefeito disse que dar ao CAEQ o nome do médico cirurgião plástico, Lenício de Almeida Cordeiro, foi uma maneira de eternizar sua memória. Lenício, que faleceu em 1994 aos 46 anos de idade, vítima de leucemia, foi o primeiro cirurgião plástico de Campos.

Acompanhado da primeira-dama Tassiana Oliveira, Wladimir afirmou que a saúde sempre será prioridade em seu governo. "Já estive cinco vezes aqui no Ferreira Machado, somente neste ano, para a inauguração de obras que visam melhorar a assistência", disse ele, anunciando que a próxima obra a ser feita no HFM será a reforma do pronto socorro, por meio de recursos oriundos de emendas parlamentares da deputada federal Clarissa Garotinho e de outros deputados.

O prefeito anunciou, também, a retomada das cirurgias bariátricas no município, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e o "Mutirão da Saúde", que será lançado na semana que vem para zerar a fila de espera por exames e cirurgias especializadas. Já a obra de reforma e ampliação do Hospital Geral de Guarus (HGG) está prevista para começar, ainda, em novembro, segundo Wladimir.

O superintendente do HFM e vice-presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Arthur Borges, explicou que, a partir do Centro de Queimaduras, o hospital poderá oferecer um atendimento especializado e de melhor qualidade.

"Vamos continuar realizando as cirurgias de emergência e dar continuidade ao tratamento desse paciente, após sua saída do hospital. Em média, um paciente que é vítima de queimadura fica de dois a três meses internado e com sequelas". Em 2019, segundo o médico, o HFM realizou 240 cirurgias. Já neste ano, até agora, foram 418.

O secretário municipal de Saúde, Paulo Hirano, parabenizou o superintendente do HFM e sua equipe pelos avanços na assistência à população. "Estou feliz em estar aqui inaugurando essa unidade e homenageando uma pessoa que cumpriu com sua missão, que foi a de cuidar dos queimados", disse o secretário, se referindo ao cirurgião plástico Lenício de Almeida Cordeiro.

Paulo Hirano também parabenizou o prefeito por sua gestão e agradeceu à deputada Clarissa Garotinho pelo esforço em conseguir recursos para Campos. "Sua gestão, prefeito, só tem proporcionado coisas boas, quando achávamos que não seria possível".

Também presente na inauguração, a deputada Clarissa Garotinho disse que já garantiu, no orçamento de 2022, R$ 8 milhões em emendas parlamentares. "Desse montante, R$ 4 milhões são de emendas minhas. Até o fechamento do prazo para reservar emendas, continuaremos trabalhando, junto à bancada do Rio, para conseguir o restante necessário para o Ferreira Machado ter essa obra, no valor total de R$15 milhões", afirmou ela.

O presidente da FMS, Adelsir Barreto, disse que o Centro de Queimaduras é um grande avanço para Campos e região em termos de assistência. "Em todo o Estado do Rio de Janeiro, temos apenas quatro centros para tratar queimados. E o trauma por queimadura é um dos mais dolorosos que existe".

Médica oftalmologista Cyntia Azeredo Cordeiro, filha do cirurgião plástico Lenício de Almeida Cordeiro, falou do pai com muito orgulho. "Foi ele quem fundou o Centro de Tratamento de Queimados da Santa Casa de Misericórdia de Campos, já desativado. Desenvolvia também projetos de prevenção à queimadura nas escolas públicas e particulares", disse Cyntia, que participou da inauguração junto com dois irmãos.

Entre as autoridades presentes estavam o deputado estadual Bruno Dauaire, o subsecretário de Saúde, Marcos Gonçalves, o diretor do Hospital Geral de Guarus (HGG), Vitor Mussi, e os vereadores Silvinho Martins, Marcione da Farmácia e Diego Dias.

Fonte: Ascom

Comunicar erro
tESTAGEM

Comentários

728x90 - Folheie Exclusivo
PHNjcmlwdCBkYXRhLWFkLWNsaWVudD0iY2EtcHViLTY2NDI3Nzk1NDcyNzUwMjgiIGFzeW5jIHNyYz0iaHR0cHM6Ly9wYWdlYWQyLmdvb2dsZXN5bmRpY2F0aW9uLmNvbS9wYWdlYWQvanMvYWRzYnlnb29nbGUuanMiPjwvc2NyaXB0Pg==