[LOCAL 1] 728x90 - PMCG

Professora Tereza Coelho e mais nove mulheres são homenageadas pela Câmara de São João da Barra

Por Exclusivo RJ em 30/05/2024 às 23:49:08

Com o plenário lotado, a Câmara de São João da Barra prestou uma homenagem às mulheres do município, na noite desta quarta-feira (29), durante a entrega do Diploma Mulher Cidadã Narcisa Amália. Uma condecoração especial foi prestada à professora Tereza Coelho, que recebeu o diploma e uma medalha, em reconhecimento aos seus 40 anos de trabalho na Escola Estadual João Coelho da Silva, em Sabonete.

- Estou muito agradecida e feliz em receber esta medalha da Narcisa Amália. Tenho certeza de que fui reconhecida pelo trabalho que desenvolvi ao longo dos anos da minha vida aqui pelo município de São João da Barra - explicou Tereza, que foi casada com o saudoso ex-vereador João Ovídio Codeço Coelho de Almeida. "Saio daqui muito feliz não só pela medalha, mas pelo carinho desse povo e desses vereadores que - muitos acho que nem conheceram de perto João Ovídio - sabem do trabalho que ele pôde fazer no município". João faleceu em 2001, quando exercia seu segundo mandato.

Além dela, outras nove mulheres receberam o diploma das mãos de cada vereador. O presidente da Casa, Alan de Grussaí, homenageou a chefe de gabinete da prefeita Carla Caputi, Nayara Pereira Rosa da Silva Moreira. Já o edil Analiel Vianna concedeu a honraria à empreendedora Keli Carla Almeida Vianna Mendonça, sua irmã. O vereador Carlos Machado - Kaká prestou homenagem a sua esposa, Leandra Belmiro Pessanha, que está sempre ao seu lado nas tarefas e compromissos legislativos.

Um dos momentos mais emocionantes foi a entrega do diploma à senhora Maria da Conceição do Espírito Santo - mãe do vereador Chico da Quixaba. Para quem não sabe, Dona Maria do Caju tem 87 anos e lutou muito para sustentar seus 13 filhos: cortou cana, fez esteira, trabalhou em cerâmica e foi vendedora ambulante de caju e peixe por várias cidades - carregando a cesta de produtos na cabeça.

A professora, pedagoga e servidora pública, Kélen Pontes Lopes da Silva, foi a escolhida do parlamentar Elisio Rodrigues. Já o edil Fábio Pedra homenageou a empresária do ramo de buffet, Ivania Rangel Gomes. Julinho Peixoto agraciou sua irmã e dona de casa, Marcia Cristina Ribeiro da Silva. Conhecida por ajudar as pessoas na área da saúde, marcando consultas e exames de forma voluntária, Jocinete Monteiro dos Santos foi a homenageada do vereador Júnior Monteiro, enquanto a secretária de Saúde de SJB, Arleny Valdés Arias, foi a escolhida da vereadora Sônia Pereira.

A prefeita Carla Caputi pediu desculpas por não poder estar presente e enviou buquês de flores para as dez agraciadas. "Agradeço a Deus por essa sessão solene, a presença de todos, aos vereadores pela homenageadas - todas por merecimento e pela história. São pessoas que, de alguma forma, contribuem com a sociedade, não só na vida pública, pois para a gente fazer o bem, a gente não precisa de cargo eletivo não. Quero parabenizar também dona Tereza, uma mulher que faz história desde 1967 em nosso município, pois ser professora é um sacerdócio - destacou o presidente, Alan de Grussaí.

Narcisa Amália - Nascida em 1852, a poeta sanjoanense Narcisa Amália era uma mulher à frente de seu tempo e tornou-se uma das mais importantes mulheres do século XIX. Saiu de SJB aos 11 anos, com seus pais, para morar em Resende (RJ). Narcisa publicou sua primeira poesia no jornal sanjoanense O Parahybano, em 1870. Lançou vários livros: "Nebulosas", "O Romance da Mulher que Amou", "A Mulher do Século XIX". Trabalhou muito em favor da mulher e das causas abolicionistas e republicanas. Faleceu em 1924.

O jornalista sanjoanense Bruno Costa, que acaba de escrever a biografia completa da ilustre poeta, conta que ela foi uma potência no século XIX, aclamada por Machado de Assis, Fagundes Varela, José do Patrocínio. É, também, considerada a primeira jornalista profissional do Brasil. "Isso é muito orgulho para nós, sanjoanenses", disse Bruno, que durante suas pesquisas, descobriu algumas peculiaridades. Uma delas é a grafia correta do nome da poeta, que é com Z e não com S. "É meio estranho, mas está no registro de batismo dela", contou.